_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

Este é o nosso Manifesto.

 

Este programa é sobre Arquitetura.

Não será sobre a estrutura, a textura, as vigas e o betão.

Nem sobre a forma, a cor, a luz, a estética ou os Pritzkers.

Este programa é sobre Arquitetura.

 

E a arquitetura, caro leitor,

a Arquitetura é o sonho.

É a obra.

Mas a obra, a obra é o Homem.

 

Este programa será sempre sobre o Homem.

Sobre os homens e as mulheres que fazem arquitetura e que são, nos seus entretantos, tantas outras mil e uma coisas, mil e dois sentidos, mil e três paixões.

 

Aqui conversaremos sobre a sua arte de falar através da mão. Sobre a capacidade de tocar os outros através do traço. Sobre as suas paixões, as suas frustrações, as suas desilusões e as suas conquistas. Sobre os sonhos, deles e delas. Arquitetos e Arquitetas. Pessoas.

Aqui falaremos sobre filosofia, sobre poesia, sobre a psicologia da mente humana. Criadora. Contemplativa. Apaixonada.

Divagaremos sobre a génese. Não da obra, mas do Homem. Porque é no Homem que se define o sentido do traço. Porque é no Homem que entendemos o conceito.

Porque é no Homem que a arquitetura começa.

Na pessoa que a sonha, a idealiza, a desenha e concretiza, mas também na pessoa que a vive, onde ganha então razão de ser, vida própria.

E se emancipa. Para ser o que muitas vezes nem o arquiteto pensou, sob o seu olhar atento, ora de orgulho, ora de dor.

 

Este projeto será sempre sobre pessoas.

E não deveriam ser todos?!

 

Este é o nosso Manifesto.

 

Esta é a Obra Soprema.

 

 

↵ Voltar a OBRA SOPREMA